Governo de Castello Branco

- Ao assumir o poder, Castello Branco exige o cumprimento da Constituição decretada em 1946, sendo mudada apenas através de atos institucionais;

- Desde este primeiro período da ditadura, já se iniciava a luta armada, influenciada pelos revolucionários cubanos e movimentos armados da América-Latina;

- Apesar de combater a prática de tortura, Castello Branco cria o Serviço Nacional de Informação (SNI), para punir opositores;

- É decretado, no mesmo ano do golpe, o AI-1, dando fim às eleições diretas para a Presidência da República;

- Buscando estabilizar a economia, é lançado o Plano de Ação Econômica do Governo (PAEG): este plano fez um arrocho salarial, um grande corte de investimentos em obras públicas, aumento de impostos e restrição ao crédito;

- Em 1965, é decretado o AI-2, o qual decreta o bipartidarismo, ou seja, só poderiam haver dois partidos, o Aliança Renovadora Nacional (Arena) e o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), o primeiro era o partido vigente e o segundo, oposição;

- Com isso, Carlos Lacerda, um apoiador do golpe, é marginalizado. Então é criada a Frente Ampla, uma união entre Carlos Lacerda, Juscelino Kubitscheck e João Goulart. Este seria um movimento de oposição;

- No mesmo ano é decretado o AI-3, o qual deu fim às eleições diretas para governador, fazendo assim com que fossem colocados 17 governadores do Arena. Além disso, este Ato Institucional fez com que os prefeitos fossem indicados pelos governadores;

- Apesar de ser dito acima que Castello Branco exigia o cumprimento da Constituição, o mesmo criou o AI-4, em que foi votada uma nova Constituição;

- Em 1967, o presidente general Castello Branco renuncia ao poder, passando-o para seu sucessor, marechal Costa e Silva.