Segundo governo de Getúlio Vargas

- O retorno de Getúlio Vargas ao poder representou a volta do trabalhismo e do nacionalismo;

- No primeiro ano de mandato, Vargas enviou ao Congresso Nacional um projeto de criação de uma empresa petrolífera estatal ( que viria a ser a Petrobras). Além disso, liberou a organização sindical, com o objetivo de estimular a sindicalização, flexibilizando as leis que regiam relações entre organizações de trabalhadores e o Estado;

- Vargas, logo ao entrar no poder, também criou o Plano Lafer (Plano Nacional de Reaparelhamento Econômico), que tinha o objetivo de nortear as prioridades econômicas do governo;

- Em 1952, foi criado o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico para aumentar a produção, por meio de planos técnicos com o apoio financeiro;

- No mesmo ano, o sistema nacional de geração de energia elétrica foi estatizado e foi criado um decreto que limitou em 10% a remessa de lucros às empresas estrangeiras que estavam no país;

- Em 1953, foi criada a Petrobras, e junto a esta, a Lei dos Lucros Extraordinários, que limitava ainda mais a remessa de lucros. Com isso, o petróleo passou a ser totalmente brasileiro;

- Depois da entrada de Vargas à Presidência, sindicatos buscaram recuperar perdas salariais acumuladas no governo Dutra, com isso ocorreram mais duas Greves Gerais, uma no Rio de Janeiro e outra em São Paulo;

- Cedendo as pressões, Getúlio Vargas aceitou a proposta de João Goulart, ministro do Trabalho, de conceder 100% de aumento para o salário mínimo. Com isso, o empresariado passou a atacar Vargas, acusando-o de aproximação com comunistas e de preparar um golpe de Estado;

- Jornais e emissoras de rádio passaram a servir de meios de difusão de acusações e pensamentos da UDN;

- Uma campanha difamatória foi criada por Carlos Lacerda ( dono do jornal Tribuna da Impresa). Outros grandes opositores foram o jornal O Globo e O Estado de São Paulo;

- Em agosto de 1954, ocorreu então o atentado da rua Toneleros, feito por um pistoleiro, em que Carlos Lacerda saiu levemente ferido, e teve seu amigo, major Rubens Vaz, morto ( não se sabe se foi armado por Vargas). Com isso, as forças de oposição passaram a se organizar para exigir a renúncia ou a deposição do presidente;

- No mesmo mês, foi assinado um manifesto por 27 generais do Exército que exigiam a renúncia imediata do presidente;

- Ao amanhecer do outro dia (24), após uma reunião com ministros, Getúlio Vargas suicidou-se com um tiro no coração;

- A notícia do suicídio causou uma grande comoção e revolta na grande massa da população, que passou a acusar a UDN e outros setores internacionais como causadores da morte do adorado presidente.

 

Será possível ler a carta de Getúlio Vargas, escrita um pouco antes de sua morte, na aba ao lado.